segunda-feira, 25 de julho de 2011

Dossiê Winehouse ou O mundo é mais sujo do que me contaram

Ouvindo: "Etta James"
Último filme visto: "Cantando na chuva"
Última conquista: "Iniciar um curso de natação para quem tem medo de água"

Ladies and gentlemen: Miss Winehouse! o/
A platéia vai a loucura! Gritos, aplusos, lágrimas, goles de cerveja pelo chão.

E mais uma jovem artista chega no final da estrada de uma carreira construída por bebidas, drogas, cigarros e blues. O que me faz pensar: será que foi por acaso!? (eu sei que o blog é sobre publicidade, mas eu chego lá, paciência =P )
Dona Amy já tinha uma inclinação às drogas (não há como negar) mas no início de sua carreira ela tinha um aspecto saudável. O talento sempre foi incontestável, mas ela não era conhecida. Começou a ser conhecida depois de seus vexames e vídeos consumindo drogas. E adivinha: isso vendeu!
Seu empresário / gravadora / e grande elenco tinham conhecimento do seu vício, e incentivá-lo talvez parecesse lucrativo. Ou não!?
E lá estava o esteriótipo sendo construído: jovem talentosa drogada tatuada londrina.
Duvido que a senhorita Amy ia até a boca ou subia o morro para comprar suas... coisinhas. Alguém fornecia isso, assim como água com gás e toalhas brancas para os shows.
Uma coisa eu aprendi com a publicidade: o dinheiro movimenta muita coisa. Ninguém esperto investe para perder.
Uma artista morreu. Entrou para uma lista elitizada de "artistas brilhantes que morreram aos 27 anos" (detalhe, ela faria 28 anos em pouco mais de um mês). A venda de CD´s, DVD´s, camisetas, quadros, imãs de geladeira, bottons vai aumentar.
Agora eu pergunto: Os negócios e a propaganda permitem acasos?
Um jogo de futebol (que movimenta rios de dinheiro (que nunca passam perto de mim)) é decidido por sorte e desempenho? A atriz mais bonita, talentosa e desejada de todos os tempo (da última semana) é eleita por mérito e/ou escolha popular?
Ou estou ficando paranóica, ou o mundo anda muito estranho.

Gostou do post? Então vem ver meu blog atualizado em biadesouza.com =D

3 comentários:

@Redator disse...

Fato curioso: Um dia após a Morte de Amy as vendas de Back to Black no Itunes alcançaram o topo de vendas...

MISTIFILMES disse...

Pois é Bia, acredito no mesmo que você. O capitalismo não tem escrúpulos, e certamente ele, através dos seus intermediários cria e mata os ídolos para ganhar dinheiro. Será que o mesmo não aconteceu com Michael Jackson? Certamente eles vendem muito mais quando morrem do que quando eram vivos... Não é paranóia. É apenas questão de enxergar a realidade, sem tons cor de rosa.

Jorge Melo disse...

O mundo hoje é todo negociável!
O único talento que consegue sucesso é o do empresário que lucra sobre os verdadeiros artistas que fazem o trabalho de verdade.
Também tem de considerar que se a pessoa fosse boa de negócio, talvez não seria artista e teria alguma empresa de compra e venda de produtos. Mas daí a ser manipulado pelo marketing, pelo dinheiro, vai uma grande diferença.
Vai me dizer que o Brasil perder 4 pênaltis na Copa América não foi uma coisa um tanto quanto "definida", considerando que o Uruguai seria campeão, em troca de não ganhar a copa no Brasil, pela segunda vez?
Na mídia de massa, que movimenta milhões de dolares, supor ou ter certeza de que as coisas ocorrem por acaso, é acreditar que o dinheiro que o governo recolhe em impostos será utilizado só em benefício de todos.
Uma pessoa ter talento é uma coisa, a mídia te elevar ao patamar de estrela é outra coisa.